Retomada e Mudança

                Após terminar o período de férias, tento voltar à rotina, aos propósitos principais do projeto e as atividades em curso. O exercício físico que fazia todas as manhãs caminhando nas pedras, por cerca de 01h30min, foi substituído por alguns abdominais, alongamento e um pouco de relaxamento com meditação. A temperatura está baixa, entre 5 e 10 graus centigrados, com isso a preguiça de sair de casa e pegar vento gelado é grande. Penso, como é importante não parar uma atividade, podemos até diminuir seu ritmo, porém parar é ruim. Relembrei quando fazia o caminho de Santiago, incialmente andava por 6 dias e 1 dia descansava fazendo city-tour, com o tempo percebi que o melhor é andar menos em alguns dias, conciliando a caminhada com o city-tour e não sair da rotina diária, ou seja, não parar para “descansar”, mesmo porque, quando visitava as cidades passava o dia inteiro caminhando.

                Com essa temperatura, nas montanhas próximas a Alicante chega a ficar abaixo de zero, no fim de semana fomos passear no entorno e ocorreu a primeira nevasca da região, crianças e adultos brincando, teve até boneco de neve. Nevou uns 5 centímetros, deu para deixar tudo branquinho. No fim do dia voltamos para casa com sol, tinham até pessoas na praia!!

                O curso de filosofia continua indo bem, gosto de refletir sobre os assuntos, procurar respostas e fazer perguntas, sintetizar ideias e simplificar conceitos, desenvolver a mente pura, aquela do mundo abstrato e que cria.

Fazer mandala é interessante, um mundo com muitas possibilidades a serem exploradas. Outro dia, fiz um desenho que não gostei, trouxe para casa a fim de melhorá-la. Foi feita com giz de cera, para homogeneizar as cores, espalho a cera com os dedos, não é que acabei queimando a ponta do indicador!! A professora me disse, “quanta energia!!”, explicou que seria proveitoso usar essa energia e escrever algo olhando para a mandala. Vou experimentar fazer isso, em um próximo texto coloco o resultado.

Fui a uma palestra com o tema de “Ecopsicologia”, é mais uma tentativa de integrar o ser humano a natureza, onde tenta mostrar que para continuarmos desenvolvendo-nos como pessoas, devemos saber que somos parte do planeta e, se destruímos a terra, estamos destruindo a nós mesmos. Esse conceito para mim está bem claro, o importante da palestra foi ver que outras áreas do conhecimento também começam a se preocupar com esse assunto. O ser humano deveria deixar de pensar que é o centro do universo e saber que seu desenvolvimento depende da harmonia com os demais ambientes e seres.

Um ponto abordado, que tenho pensado bastante, é a necessidade de refletirmos sobre nosso sistema educacional, hoje as escolas educam o Ser para corresponder às expectativas de um sistema econômico e mantê-lo em funcionamento, para mim, o correto deveria ser: Educar para desenvolver ao máximo os dons individuais, onde o valor não está no ter e sim no ser. Educar para aprendermos a buscar prioritariamente a felicidade e não apenas o dinheiro.

As aulas de pintura são leves, tenho pouco acompanhamento e bastante liberdade para experimentar. Acabei de fazer uma obra com giz pastel, usei uma paisagem linda do deserto com dunas de areia que vimos no Marrocos. Desenhar com os dedos é uma prova, principalmente os detalhes. Estou ficando com as pontas dos dedos calejadas e aprendendo a usar os demais dedos.

Na escola de desenho, resolvi aprender a pintar, o professor ensina usando um processo e com uma técnica, para mim isso é bom.  A técnica consiste em encontrar uma composição adequada, fazer um esboço e depois passar as linhas principais para a tela. Após isso, fazemos manchas pintando o fundo com apenas uma cor quente, variando as tonalidades para as áreas mais claras e mais escuras. Depois, se usa uma cor fria para marcar as áreas de sombras. Agora, estou colocando os médios, com cores puras, respeitando as sombras e a luz. Estou gostando do resultado até agora, vamos ver como irá continuar a técnica e, mais ainda, como ficará o quadro. É uma pintura da rua em frente a escola, usando tinta acrílica.

Com a fono, continua complicado o aprendizado, tenho dificuldade de reproduzir as notas, escuto as diferença entre elas, porém quando reproduzo, sai outra coisa. Resolvi fazer um projeto específico para mudar o foco do aprendizado, se ficar “escutável”, colocarei no blog.

O curso de espanhol vai bem obrigado. Estamos avançando bastante na compreensão e na leitura, para falar ainda sinto falta de vocabulário, já com a gramática o aprendizado é por osmose. Preparei uma versão resumida do texto, Diversidade, Solidariedade e Crise em espanhol, deu algum trabalho, pois traduzir ideias e conceitos é diferente de traduzir frases e palavras. O resultado ficou bom, com esse texto participei de um concurso literário. Já saiu o resultado e o meu texto não foi classificado. Fique desapontado, pois acreditava que o conteúdo e a forma do texto estavam razoáveis.  Alguns conhecidos espanhóis leram e gostaram. Tive o seguinte comentário, “Fiquei surpreso com a redação, está bem redigido. Quanto ao conteúdo, é o que muitos pensam, só que não está escrito”. Foi uma boa experiência fazer a tradução, valeu!!

Agora que estamos começando a ter vida social, tenho que me preparar para a nova fase do projeto e começar a organizar a mudança para a Itália. Ultimamente, fomos ver peças de teatro apresentadas e dirigidas por pessoas conhecidas, participamos de jantares e encontros de grupos de conhecidos. Estou um pouco em dúvida sobre a mudança, deixar algo “conhecido” e ir em direção para um “desconhecido”. Uma contradição entre a comodidade e o planejado. Começamos a fazer aula de italiano, vou fazer uma salada de fruta, entre espanhol, português e italiano, espero que saia algo compreensível.

A aula de cerâmica acabou, o professor estava com outras prioridades e não pode retornar as aulas, uma pena, estava gostando. Achei melhor não começar em outro local e deixar para fazer algo na Itália.

Continuo fazendo experiências culinárias, ainda meus pratos são simples, mesmo assim, gosto do que cozinho. Vou fazer uma relação do que estamos comendo no dia a dia aqui na Espanha, isso não quer dizer que já apreendi a fazer todos estes pratos.

- Tortilhas (uma espécies de omelete alto com batata e/ou cebola)

- Quinua  com vegetais e/ou frutos do mar

- Polenta com molho de vários tipos de cogumelos

- Cuscuz com vegetais e/ou frutos do mar

- Arroz, Risotos, Massas

- Paella

- Fideua (um macarrão pequeno, é igual a uma paella, com massa no lugar do arroz)

- Frutos do mar (Camarão, peixes, lula, polvo, mariscos, vieiras)

- Saladas com muita azeitona, pimentão, aspargo, alcachofra, etc.

- Sempre acompanhado de um vinho espanhol, que é muito bom.

 

Continuo atualizando os álbuns de fotos, tanto de Alicante como das “obras artísticas”. Apreciem com moderação.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

For a professional business hosting we highly recommend hostgator review or cloud hosting
Joomla Templates designed by Joomla Hosting