Medo do Insucesso

Esse tema surgiu no meio da conversa que tive com um coach, Max Damioli. No texto vou relatar uma parte do diálogo e porque o assunto entrou em cena. Não tenho uma conclusão definitiva sobre ele, mas isso não me incomoda. Acredito que o conteúdo do assunto pode contribuir para todos, pois sempre teremos algo em nossas vidas que acreditamos que não fomos bem sucedidos.

Conheci o Max em Perugia, foi um contato inicial para avaliarmos se teríamos condições e interesse de interagirmos. Contei um pouco quem eu sou, o que estou fazendo na Itália, sobre o projeto sabático e por fim, o que acredito estar procurando e para que.

Após dialogarmos, ele me disse e perguntou:

- Eu acho suas ideias coerentes e não necessitam de muitos ajustes, porque então você está me procurando?

Fiquei um pouco surpreso com o questionamento, estava a um bom tempo explicando o projeto e o que e pretendia fazer, mas refleti sobre a pergunta e disse:

- Gosto de estar bem preparado para tudo que vou fazer e acredito que ainda tenho alguns pontos a melhorar para avançar no projeto. 

A conversa continuou, ele contou um pouco sobre o conceito dos imperativos, e como eles atuam em nossas vidas: Seja Perfeito, Seja Forte, Seja Rápido, Faça Esforço, Por Favor.

Defendi a ideia que o esforço e a busca da perfeição (o aperfeiçoamento) são necessários para tudo, para mim, não existe evolução se não houver também um esforço consciente de avançar. Ele continuou perguntando e afirmando:

- Acho que deveria avançar com o que já conquistou, porque não segue o caminho? Tenho uma fantasia que talvez você (Clovis) esteja na sombra dos imperativos; SEJA PERFEITO e FAÇA ESFORÇO e por isso deseje estar superpreparado, então porque não segue e verifica onde consegue chegar?

Meus argumentos foram parecidos com os anteriores, e contei uma pequena historia de infância:

- Tinha uns 6 anos e fazia natação em uma escola. Haveria um campeonato, todos os meninos estavam empolgados com a ideia. Eu percebi que os professores estavam tirando os tempos dos alunos, o que fiz? Durante todo o treino, nadei bem devagar, já um coleguinha fazia o máximo para ir rápido. O resultado foi: Eu competi em uma categoria X, onde os professores agruparam os alunos que tinham um determinado intervalo de tempo, já meu colega foi para a categoria Y. Na hora da competição, dei meu máximo, claro ganhei algumas medalhas. Já meu amigo, ficou entre os últimos.  Moral da historia, eu me tornei um nadador regular, meu colega, continuou se esforçando e tornou-se um excelente nadador, mas fui eu que levei para a casa as medalhas naquele dia!!

Ele (Max), após escutar a historia com atenção, fez mais uma pergunta?

- Será que não existe um medo pelo insucesso? 

Conversamos mais um pouco sobre esse assunto e encerramos o bate-papo. Ficamos de pensar como poderíamos prosseguir no diálogo. Na sequencia do texto, vou transcrever uma parte dos e-mails que trocamos.

 

De Clovis para Max

 

- Oi Max, envio em anexo meu projeto - Projeto de Vida – Lapidando Ideais e criando Significado -, assim acredito ficar mais claro o que penso. Agora deixo para você analisar se teria condições de me ajudar a melhorar, alterar e validar a ideia do projeto.

- Quanto ao tópico que conversamos sobre o medo do insucesso, refleti sobre o assunto e desejo comentar esse ponto.

- Não creio na existência do fracasso, para mim, tudo se traduz em aprendizado. A diferença está na forma como interpretamos os resultados e os fatos. Tenho a crença que os fatos não tem em si qualquer sinal, positivo ou negativo, somos nós, através de nossas experiências e expectativas que damos o sinal ou significado ao fato. Eu sempre acreditei na evolução, não importando o resultado, isso sempre me ajudou a ir à busca de “melhores” resultados, resinificando e dando maior peso ao lado “positivo” dos eventos.

- Essa crença é resultado dos conceitos Budista de vacuidade e impermanência, os quais considero adequados. Quero dizer por “melhores resultados” e “lado positivo”, como aquilo que gere maior desenvolvimento e harmonia entre as pessoas e a natureza. Baseando-se na minha verdade sobre desenvolvimento e harmonia, que pode estar incompleta, é claro.

- Existe uma máxima que acredito, “Uma competição se ganha no treino, não na hora do jogo”, ou seja, um bom resultado na hora do jogo é consequência de um bom treinamento. E nada melhor que termos pequenos sucessos, para se construir uma grande vitória.

- Mesmo assim, ainda não achei o motivo porque acho essencial uma boa preparação para fazer as coisas, continuarei a reflexão sobre esse ponto.

- Desde já agradeço nosso encontro e acredito que promoveu bons resultados

 

De Max Damioli para Clovis

 

- Achei seu projeto muito sensível e interessante.

- Sobre o “medo do insucesso”, creio que pode haver algo sobre seu passado... Existem alguns imperativos que vêm da família, da sociedade, da igreja, etc., que criam sombras em alguns momentos e doem:

IMPERATIVO N. 1 é: Seja Perfeito! (não cometer erros)... a sombra é o medo de errar ... e não sermos capazes de aprender com os erros ...

IMPERATIVO N. 2 é: Seja Forte! (não chorar como uma criança) e a sombra é a de não permitir-se sentir dor.

IMPERATIVO N. 3 é: Seja Rápido! (mexa-se!) e a sombra é não fazer as coisas no meu tempo.

IMPERATIVO N. 4 é: Faça Esforço (é necessário esforço), a sombra é que as coisas são objetos de valor SOMENTE se houver um grande esforço para alcançá-los, então o que é fácil não tem valor.

IMPERATIVO N. 5 é: POR FAVOR! (por favor, as pessoas) a Sombra é "eu não tenho o direito de dizer o que sinto para as pessoas".

- Minha fantasia é que alguns desses imperativos podem estar vivos em você, criando algumas sombras desagradáveis, ​​que por vezes impedem que obtenha (FÁCIL) sucesso.

- Parece-me que sua linguagem mostra que o impulso para suas realizações é a dor e medo de falhar, em vez de paixão e a sabedoria DIVINA, que é, aliás o tipo de mensagem que você deseja compartilhar com as pessoas em seu projeto.

- Mas essa é apenas uma fantasia minha, não necessariamente a "Verdade". Ainda...

 

Trocamos outros e mails e...

 

De Clovis para Max

 

- Após traduzir seus e-mails com atenção e procurar compreender o conteúdo, percebi a dificuldade de comunicar em uma língua que não tenho completo domínio.

-Acredito que superestimei minha capacidade de comunicar e/ou subestimei a complexidade de trocar ideias mais profundas em outra língua.

-Isso posto, posso interpretar como parcial “insucesso” do meu projeto sabático a busca por um coach na Itália.

-Mas, como todo insucesso, para mim, não é negativo, sigo procurando alternativas e aprendendo com os resultados das experiências vividas.

-Agradeço seu tempo e disposição, mas desisti de procurar por coach na Itália. 

 

Max Damioli

 

- Eu não creio que é apenas questão de idioma. Acho que se trata de compreender profundamente o propósito de uma ferramenta: se eu tiver apenas um martelo, todos os meus "problemas" tendem a ser tratadas como pregos.

- Há muitas áreas em que seu projeto poderá ser tratado: marketing, estrutura, recursos visuais, conteúdos, distribuição, participação... e assim por diante.

- Trabalho para todo o projeto não é "coaching", é "gestão" e que requer tempo e atenção que gostaria de fazer, mas não tenho condições agora.

- Então, poderíamos ajudar em algumas partes, mas há também o inventor, o intérprete e  o preparo envolvido. Poderíamos cuidar da pessoa, ao invés do conteúdo.

- Seus argumentos parecem envolver mais a "alma" do que o "objetivo". O que é muito ok, mas eu não estaria disponível para isso.

- Não pude evitar notar que a palavra "insucesso" apareceu em seu último e-mail..., sinto que talvez esse ponto, seja mais interessante para um psicólogo do que para um coach, embora possa ser superado facilmente de qualquer maneira.

- No geral, eu posso te dizer o que sinto:

1) Você teve uma boa ideia! É interessante, envolvente, comprometida, de uma maneira revolucionária.

2) Eu acho que sua ideia tem potencial para ser muito bem percebida e amparada, no Brasil e mais tarde, em todo o mundo

3) Eu acho que agora é tempo para a parte de acabamento e refinamento. Ela precisa de organização e estratégia.

5) Eu acho que você poderia ter algo a falar, para sentir-se mais envolvido e motivado para abordar essa "parte final"

a)Você poderia fazer isso com um coach (buscando um objetivo concreto)

b)Você poderia fazer isso com um terapeuta (buscando um objetivo abstrato ou espiritual)

c)Você pode fazê-lo de qualquer maneira muito bem, porque não é algo sobre o projeto, é apenas sobre você.

- Concordo que talvez eu seja a pessoa certa na hora errada ou lugar. Ou talvez a hora ainda esta por vir...

- Vou ficar muito contente se você me deixar conhecer o desenvolvimento do seu projeto, que eu acho inovador e promissor.

- Agradeço-lhe por sua amizade e paciência.

 

Essas trocas de mensagens foram interessantes para mim, além disso, comecei a colocar no papel e refletir como e o que pretendo fazer nos próximos anos no Brasil.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

For a professional business hosting we highly recommend hostgator review or cloud hosting
Joomla Templates designed by Joomla Hosting